Rua dos Andradas, 1137, conj. 709

Galeria Di Primio Beck - Centro  - Porto Alegre - RS

CEP 90020-015 

Fone: (51) 3062.6700       (51) 98570.6700 

 

  • Facebook - círculo cinza

CONTATO E LOCALIZAÇÃO

Todos os Direitos reservados à Raddatz Advocacia - Criado por Lzf Conteúdo e Design

Benefício Assistencial ao Idoso ou ao Portador de Deficiência (LOAS)

As pessoas que não contribuem para o Regime Geral de Previdência Social no Brasil denominado INSS e que não se enquadrem como trabalhador rural jamais poderão dizer “estou aposentado”, mas em alguns casos poderão ter direito a receber um beneficio assistencial, cumprindo alguns requisitos importantes e determinados na lei.

 

Salvo para o trabalhador rural, a Aposentadoria somente é concedida a quem pagou contribuições por um período mínimo de tempo fixado em lei, ou seja, têm direito à aposentadoria os homens e mulheres que cumprirem um tempo mínimo de contribuições ao INSS.

 

 

Entretanto, o Beneficio Assistencial ao Idoso ou ao Portador de Deficiência, também conhecido como Amparo Assistencial, previsto pela Lei n. 8.742, de 7 de dezembro de 1993, Lei Orgânica da Assistência Social, conhecida por LOAS, pode ser concedido a idosos, com idade mínima de 65 anos, e pessoas portadoras de deficiência, que não tenham nenhuma condição de prover seu sustento com seu trabalho ou com a renda de seus familiares, entre outros requisitos exigidos pela Lei.

 

O Benefício Assistencial ao Idoso ou ao Portador de Deficiência - BPC/LOAS é um benefício da assistência social pago pelo Governo Federal, assegurado por lei, que permite o acesso de idosos e pessoas com deficiência às condições mínimas de uma vida digna. Corresponde à garantia de um salário mínimo, na forma de prestação continuada mensal.

 

A concessão do benefício assistencial estará condicionada à avaliação documental feita pelo INSS e também a uma avaliação por um assistente social designado pelo referido Instituto.

Como características, este beneficio não oferece o direito ao décimo terceiro salário, e também não permite que seja concedido o chamado “empréstimo consignado”.

 

As exigências previstas em Lei são as seguintes:

 

IDOSO:

  • Para o idoso, é necessária idade mínima de 65 anos;

  • A renda mensal per capita da família deve ser inferior a ¼ do salário mínimo vigente na data do requerimento (dividindo-se o valor da renda de todos pelo número de integrantes, deve resultar um valor menor que um quarto do salário-mínimo);

  • Não pode estar recebendo benefício pela Previdência Social ou por outro regime previdenciário, ou Seguro Desemprego.

 

 

Documentação Necessária:

 

  • Número de Identificação do Trabalhador – NIT (PIS/PASEP) ou número de inscrição do Contribuinte, se possuir;

  • Documento de Identificação (Carteira de Identidade e/ou Carteira de Trabalho e Previdência Social);

  • Cadastro de Pessoa Física - CPF;

  • Certidão de Nascimento ou Casamento (de todos os integrantes da família);

  • Certidão de Óbito do esposo(a) falecido(a), se o beneficiário for viúvo(a);

  • Comprovante de rendimentos dos membros do grupo familiar;

 

Observações importantes:

  • O Benefício Assistencial ao Idoso - BPC/LOAS já concedido a um membro da família (mesmo aqueles concedidos antes da Lei 10.741 Estatuto do Idoso) não será levado em consideração no cálculo da renda familiar per capita em caso de solicitação de um novo benefício de Amparo Assistencial ao Idoso por outro membro da família;

  • A condição de acolhimento em instituições de longa permanência, assim entendido como hospital, abrigo ou instituição congênere não prejudica o direito do idoso ao recebimento do BPC/LOAS;

  • O beneficiário recluso, devidamente comprovado, não fará jus ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social-BPC/LOAS, uma vez que a sua manutenção está sendo provida pelo Estado;

  • O beneficio assistencial é intransferível e, portanto não gera pensão aos dependentes, além de não receber o abono anual (13º salário) e não estar sujeito a descontos de qualquer natureza.

 

PORTADOR DE DEFICIÊNCIA:

  • Para o portador de deficiência, é necessário parecer da Perícia-Médica comprovando a deficiência (a perícia será realizada pelo INSS);

  • Tem direito ao benefício a pessoa com deficiência que tenha impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas, que produza efeitos pelo prazo mínimo de 2 (dois) anos;

  • A renda mensal per capita da família deve ser inferior a ¼ do salário mínimo vigente na data do requerimento (dividindo-se o valor da renda de todos pelo número de integrantes, deve resultar um valor menor que um quarto do salário-mínimo);

  • Não pode estar recebendo benefício pela Previdência Social ou por outro regime previdenciário, ou Seguro Desemprego.

 

Documentação Necessária:

 

Para o Portador de Deficiência (Incapacitado):

 

  • Número de Identificação do Trabalhador – NIT (PIS/PASEP) ou número de inscrição do Contribuinte, se possuir;

  • Documento de Identificação (Carteira de Identidade e/ou Carteira de Trabalho e Previdência Social);

  • Cadastro de Pessoa Física - CPF;

  • Certidão de Nascimento ou Casamento (de todos os integrantes da família);

  • Certidão de Óbito do esposo(a) falecido(a), se o beneficiário for viúvo(a);

  • Comprovante de rendimentos dos membros do grupo familiar;

  • Tutela, no caso de menores de 21 anos, filhos de pais falecidos ou desaparecidos;

  • Atestado Médico atual, quando for o caso.

 

Para o Portador de AIDS (Incapacitado):

 

  • Número de Identificação do Trabalhador – NIT (PIS/PASEP) ou número de inscrição do Contribuinte, se possuir;

  • Documento de Identificação (Carteira de Identidade e/ou Carteira de Trabalho e Previdência Social);

  • Cadastro de Pessoa Física - CPF;

  • Certidão de Nascimento ou Casamento (de todos os integrantes da família);

  • Certidão de Óbito do esposo(a) falecido(a), se o beneficiário for viúvo(a);

  • Comprovante de rendimentos dos membros do grupo familiar;

  • Tutela, no caso de menores de 21 anos, filhos de pais falecidos ou desaparecidos;

  • Atestado Médico atual;

  • Receituários Médicos;

  • Exames Médicos.

 

Observações importantes:

 

  • É permitida a acumulação do benefício com a remuneração advinda do contrato de aprendizagem pela pessoa com deficiência está limitada ao prazo máximo de dois anos;

  • A condição de acolhimento em instituições de longa permanência, assim entendido como hospital, abrigo ou instituição congênere não prejudica o direito do portador de deficiência ao recebimento do BPC/LOAS;

  • O beneficio assistencial é intransferível e, portanto não gera pensão aos dependentes, além de não receber o abono anual (13º salário) e não estar sujeito a descontos de qualquer natureza;

  •  Suspende-se o benefício pelo exercício de atividade remunerada, pela pessoa com deficiência inclusive na condição de microempreendedor individual, desde que comprovada a relação trabalhista ou a atividade empreendedora. 

 

 

Joice Raddatz

OAB/RS 33.973

 

Maiores informações poderão ser obtidas através dos telefones:

(51) 3062-6700 ou (51) 8570.6700

 

 

Please reload

DESTAQUES

Você conhece a mediação de conflitos?

1/10
Please reload

ÚLTIMOS POSTS
Please reload